Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FIFTY SHADES OF VANESSA PAQUETE

FIFTY SHADES OF VANESSA PAQUETE

SERRA DA ARRÁBIDA : O PARAÍSO DO SADO (AINDA INTOCÁVEL) / A NOSSA CÔTE D`AZUR EM PORTUGAL

CA.jpg

 

Falar na Serra da Arrábida é pronunciarmo-nos acerca de um paraíso na terra, ainda algo desconhecido para os portugueses.

 

Estando a morar, há alguns anos, em Setúbal, não me passou ao lado a beleza desta região que em tudo contrasta com a ferocidade dos mares do Norte (Matosinhos e Leça da Palmeira).

 

A Arrábida é uma zona (ainda) privilegiada; rodeada por um mar transparente verde safira ou azul lis, nesta altura, em que tanto somos acometidos por vários incêndios que vão devastando a nossa área florestal, a Serra da Arrábida coabitando lado a lado com o mar (cenário único em Portugal) é um sítio verdadeiramente abençoado.

 

Bocage dizia: “Setúbal é um cagalhão servido numa bandeja de prata”. A escolha das palavras é da inteira responsabilidade do poeta mais famoso da região, mas consigo compreender o que elas querem dizer. Entre o azul do rio Sado e o verde da serra da Arrábida, Setúbal nasceu num cenário quase perfeito.

 

A Arrábida é uma das zonas mais bonitas do País. E se isso era válido há 100 anos, continua a ser verdade ainda hoje. O Parque Natural da Arrábida tem quase 11 mil hectares e é a morada de Azeitão, Sesimbra, Palmela e, claro, Setúbal. Podia falar de peixe grelhado, choco frito ou tortas de Azeitão (que tão pouco aprecio), todavia, é a sua paisagem idílica o pano de fundo que quero pintar aqui.

 

Portinho da Arrábida

11261210_871038702934395_9076017921013769332_n.jpg

 

11695860_891871287517803_4953932532006323313_n.jpg

 

Para começar, posso dizer desde já que Setúbal/ Arrábida é pertíssimo da capital/Lisboa (40 kms apenas), o que faz com que muita da nossa vida possa ser feita na capital, desde que tenhamos possibilidades monetários para isso, claro está. Ainda assim, mesmo que não possuamos esse desafogo económico por 8 Euros podemos comprar um bilhete de ida & volta a Lisboa na rodoviária e dar sempre uma escapadinha à capital. A nível de transporte passam três autocarros distintos de meia em meia hora e ainda temos o comboio Fertagus (extremamente acessível).

 

Este ano, para não se repetir a caocidade de anos anteriores, foi implementado um programa “ Arrábida Sem Carros “, significa isto que para aceder a esta idílica paisagem o melhor mesmo é dirigirmo-nos até a rodoviária ( perto da baixa de Setúbal ) e apanhar o BUS que por 1,75 nos leva até a praia de Albarquel/ Figueirinha/ Galapos & Galapinhos. Os BUS são 4. Circulam como VAI/VEM, o que significa que existe sempre uma extrema afluência e nada de hiatos temporais que nos possam fazer perder um belo dia de praia.

 

Não se iludam; andar na Serra da Arrábida não é pera doce. Que o diga eu que habito aqui há 5 anos e já ponderei em fazer montanhismo ou escalada devido as peripécias que estas praias nos obrigam.

 

Entre o azul do mar e o verde da serra, o Parque Natural da Serra da Arrábida é um excelente lugar para por à prova a nossa preparação física.

 

CA2.jpg

 

Situado junto ao mar, o parque oferece uma das paisagens mais deslumbrantes da costa perto de Lisboa. O ponto mais alto encontra-se na Serra do Risco, uma magnífica arriba com 380 m de altura. Os passeios de orientação ou de bicicleta são uma boa sugestão para conhecer este lugar exemplar, de pura vegetação mediterrânica do país. Podemos escolher o nível de dificuldade mais adequado e até se podem fazer percursos noturnos, mas não aconselho!

 

Como uma muralha verde a pique sobre o Atlântico, a serra abriga pequenas enseadas de areia branca e, apesar de estar à porta do Oceano, o mar aqui quase não tem ondas.

 

O Portinho da Arrábida é uma das praias mais bonitas e um bom spot de mergulho, com fauna e flora, únicas, por descobrir nas águas límpidas da pedra da Anicha, uma ilhota em frente ao areal. Tudo se poderá ficar a saber no Museu Oceanográfico, instalado na Fortaleza de Santa Maria da Arrábida. Galapos, Galapinhos e a escondida Praia dos Coelhos são outras praias nesta paisagem protegida, que vale a pena explorar. Já a Praia da Figueirinha é uma das mais frequentadas.

 

1937451_891871290851136_5523958034679901249_n.jpg

 

11164736_871039509600981_2056245789269179570_n.jpg

 

13438827_1089697761068487_1793740067127443351_n.jp

 

217883_482006871837582_1739352014_n.jpg

 

12279245_958465714191693_7802371360541899298_n.jpg

 

 

A Reserva Natural do Estuário do Sado tem outros atrativos. Sejam os golfinhos que nos acompanham nos passeios de barco ou pelo facto de ser um local de observação de aves especial, com mais de 250 espécies que se podem avistar. O Moinho de Maré da Mourisca é um dos melhores sítios para o fazer.

 

Para melhor desvendar os segredos do Sado, sugiro um passeio à vela nos galeões do sal, embarcações tradicionais que percorrem o rio até à Arrábida, ou mesmo numa traineira. O contraste entre o branco das salinas, o azul do rio, o verde dos pinhais e o dourado da areia são a garantia de um tempo bem passado.

 

Podem aventurar-se em fazer os caminhos pedestres; eu faço-os, claro, todavia, devo avisar, que é preciso uma extrema preparação física, fazer acompanhar-se de água e bom calçado para não escorregarmos pelas arribas abaixo. As praias podem ser paradisíacas, mas para se alcançar o éden, é preciso sofrer um pouco!

 

Com sorte, o passeio será alegrado pelo símbolo do estuário - os golfinhos (juro que até hoje não vi nenhum/ talvez não gostem de mim, mas toda a gente garante vê-los) que nos acompanham com magníficos mergulhos.

 

CA1.jpg

 

Sendo do Porto, e, embora Setúbal não seja uma cidade idílica a nível profissional, a verdade, é que esta possui um cenário único, presentemente, já muito apreciado pelos turistas e que de facto parece a Côte D`Azur.

Costumo sempre referir, juntem-lhe o Metro do Porto, a facilidade de acessos + uma francesinha e eu até ficava por aqui, todavia, cada cidade possui os seus encantos e o de Setúbal é seguramente o Estuário do Sado, o Parque Natural da Arrábida, o Choco Frito, Bocage e Troia!

 

11694853_891871160851149_4100279223784654572_n.jpg

 

13567258_1089697677735162_2686626589199092493_n.jp

Texto & Crítica: Vanessa Paquete 2018  ©

Fotos: Vanessa Paquete ©
Flyers: Vanessa Paquete

Todos os Direitos Reservados ®

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.