Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FIFTY SHADES OF VANESSA PAQUETE

FIFTY SHADES OF VANESSA PAQUETE

SAPO 24 RECOMENDA-NOS UMA PLAYLIST PARA A FATÍDICA ELEIÇÃO DE DONALD TRUMP; É QUE HOJE BEM PRECISAMOS!!!

Sem Título.jpg

 

Amanheci e o mundo tinha mudado!

Numa vã esperança, ainda julguei que estivessem a fazer-me uma trapaça, afinal de contas, seguira tão de perto as eleições americanas que só podiam estar a gozar com a minha cara.


Mas não!


A realidade deu-me um soco na cara: Donald Trump era o novo presidente dos USA!


Sem muito o que dizer, para além de expressar a minha tristeza, encontrei no SAPO 24, um artigo interessantíssimo acerca da playlist que deveríamos escutar hoje. Eu acrescentei-lhe mais algumas músicas.


Aqui vos deixo a nossa tristeza mesclada com um resquício de esperança, pois, o que será da humanidade sem esperança?

 

SAPO 24

 

Se acordaram agora e ainda estão espantados com o que acabou de acontecer no outro lado do Atlântico, confirmamos: Donald Trump é o próximo presidente dos Estados Unidos da América. E estas são as escolhas musicais que sugiro para o que aí vem.

 

R.E.M. – It's The End Of The World As We Know It (And I Feel Fine)

It's the end of the world as we know it

Há quase 30 anos (16 de Novembro de 1987) os americanos R.E.M. lançavam este single “apocalíptico”, mas que, ainda assim, terminava com uma mensagem apaziguadora, não obstante o facto de o mundo, como o conhecemos, ter terminado (“And I Feel Fine”). Não sei o que vai acontecer com Trump na presidência dos EUA – o seu perfil público inconstante não nos permite fazer previsões – mas gosto de acreditar que, no final do dia, tudo ficará bem.


Journey – Don’t Stop Believing

Don’t stop believing / Hold on to that feeling

Ainda que a música dos Journey fale de uma small town girl que não deve deixar de perseguir os seus sonhos, a verdade é que é possível afirmar que, durante muitos meses, Donald Trump foi o único a confiar na vitória. Contra sondagens, analistas e comunicação social, “The Donald” nunca deixou de acreditar.


No Doubt – Don’t Speak

Don't speak / I know just what you're saying / So please stop explaining / Don't tell me cause it hurts

Uma música de negação para todos os que não esperavam este desfeito nas eleições americanas. Gwen Stefani canta aqui as frustrações de todos os que não queriam ouvir Donald Trump a proclamar-se vencedor das eleições.


Carly Simon – You’re So Vain

You're so vain, I'll bet you think this song is about you / Don't you? Don't You?

O ego de Donald Trump já era reconhecidamente grande antes da vitória nas eleições americanas. E depois de ser proclamado vencedor, não é provável que o novo presidente passe a adotar uma postura humilde. E daí talvez não...


Limp Bizkit – My Way

I'm 'a do things my way / It's my way / My way, or the highway

Ainda que Donald Trump seja conhecido pelas suas alterações de opinião (não confundir com mentiras e/ou esquecimentos), a verdade é que um dos principais receios de muitos analistas é a sua postura totalitária relativamente a alguns assuntos. O “My way or the highway” que Fred Durst cantou pode ser perigoso, mas o discurso de vitória do novo presidente de uma das maiores democracias do mundo mostrou-nos um Trump mais conciliador (ainda que, quando se ganha, é mais fácil ser assim). Cá estaremos para ver, nos próximos quatro anos.


Pink Floyd – Another Brick In The Wall

We don't need no education / We dont need no thought control

Uma das palavras mais repetidas durante a campanha de Trump foi “muro”. O futuro presidente dos EUA prometeu construir um, que dividisse o seu país do México e dificultasse a imigração ilegal. É sabido que os Pink Floyd não lançaram este tema para servir de inspiração a medidas políticas de controlo de imigração, mas a verdade é que “Another Brick In The Wall” é a referência musical no que toca a muros, sejam eles metafóricos ou reais.


John Denver – Leaving On A Jetplane

All my bags are packed / I'm ready to go

Cher. Bryan Cranston. Amy Schumer. Chelsea Handler. Barbra Streisand. Lena Dunham. Ne-Yo. Estas são algumas das celebridades que prometeram abandonar os EUA caso Donald Trump vencesse as eleições. As malas já devem estar a ser feitas.


The Beatles – Yesterday

Yesterday all my troubles seemed so far away / Now it looks as though they’re here to stay

Esta parece ser a banda sonora dos mercados financeiros, um pouco por todo o mundo. Depois do Brexit, espera-se uma forte reação nas bolsas à vitória de Trump. E a “ameaça” de um maior protecionismo em termos económicos faz os analistas desejar voltar atrás no tempo.


Michael Jackson – Earth Song

Did you ever stop to notice / The crying Earth the weeping shores?”

“The Donald” já escreveu no Twitter que “o conceito de aquecimento global foi algo criado pelos chineses de forma a tornar as fábricas americanas pouco competitivas”. Recordemos, pois, Michael Jackson e a sua “Earth Song”. Era isso ou colocar aqui o mais recente documentário de Leonardo DiCaprio.


Kendrick Lamar – Alright

But if God got us then we gon' be alright

O rapper americano Kendrick Lamar é, hoje em dia, um dos mais mediáticos ativistas sociais dos EUA. Muitas das suas músicas têm contornos políticos e falam sobre discriminação. “Alright” tornou-se um hino de esperança para a comunidade negra americana. Lamar foca-se na ajuda de Deus para ficar tudo bem. Mas aqui não há religião, só a esperança de que, apesar da incerteza do que aí vem, tudo ficará bem (sim, é a segunda vez que repito esta frase num texto sobre música, mas as mensagens de esperança nunca são de mais).

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.